Por que praticar Yoga?

Compartilhe

O Yoga surgiu na Índia que é também berço das filosofias do budismo e do hinduísmo. A palavra é de origem sânscrita, uma língua presente na Índia, e significa unir o ser humano à sua essência. Quem pratica Yoga muitas vezes é visto como alguém tranquilo, mas este não é o único benefício da prática. Segundo o terapeuta Shams Sabbagh, além da harmonização geral do organismo, o Yoga aumenta a disposição, flexibilidade, desenvolve a força e inteligência muscular.

Captura de Tela 2015-10-06 às 11.53.49

Reprodução Instagram @stephynow

Benefícios no plano emocional e na saúde também são visíveis, segundo o especialista. “Com a prática periódica, observa-se melhoria no humor, o fortalecimento dos sistemas imunoló gico, endócrino e hormonal, além do reequilíbrio da massa corporal”, destaca Sabbagh.

Mas, como isso acontece? Considerada uma terapia complementar a inúmeras enfermidades, a prática do Yoga combina posturas e técnicas respiratórias. São essas duas vertentes que juntas promovem as mudanças profundas que trazem benefícios aos praticantes. “A concentração para os movimentos e a atenção à respiração correta promovem mudanças físicas e emocionais, contribuem para o autoconhecimento, harmonia interna, relaxamento e hábitos de vida mais saudáveis”, explica Adryana Costa, terapeuta do Espaço Índigo. Segundo ela, pessoas em harmonia e de bem com a vida têm mais energia e esta é outra vantagem do Yoga.

Yoga para crianças
Além dos adultos, o público infantil também pode praticar Yoga. “É uma forma fantástica de fazer florescer todas as virtudes da criança”, destaca Adryana. No Espaço Índigo, é trabalhado o entusiasmo e alegria natural das crianças, potencializando o Yoga para atuar diretamente sobre casos de hiperatividade, ansiedade, insônia e depressão infantil, entre outros. Para crianças saudáveis, o Yoga atua na prevenção de doenças. “Durante a prática, as crianças aprendem sobre meditação, respiração e saúde do corpo, questões essenciais em um mundo tão acelerado”, destaca Sabbagh.

Compartilhe

COMENTE SOBRE A MATÉRIA