MENDOZA – Visita às vinícolas do Maipú

Compartilhe

A apenas 15 quilômetros da cidade de Mendoza, na Argentina, se encontra a pequena cidade do Maipú, muito tradicional por suas vinícolas e pela Rota do Azeite. O Portal Betioli visitou as vinícolas Zuccardi, Carinae e a El Enemigo, onde almoçamos.

IMG_3200

Começamos o nosso dia a caminho da Zuccardi, primeira vinícola a abrir um centro de visitas com restaurante próprio, no ano 2001, consolidando-se na vanguarda do turismo vitivinícola, tanto local como internacional. Além dos vinhos, no ano 2004, a vinícola também decidiu apostar no azeite de oliva – que pudemos provar. Ao chegarmos, fizemos um tour pelas instalações da Zuccardi onde hoje são fabricados apenas os vinhos Santa Julia. Acompanhados pela Cris, uma brasileira de Brasília e nossa guia no dia, conhecemos todo o processo de fabricação e pudemos tirar dúvidas.

Terminamos a visita em um local que era um mix de loja, espaço de arte e degustação. O valor da visita incluía uma degustação básica, mas também era possível degustar os vinhos mais elaborados da bodega. Decidimos investir um pouco mais e fomos para a degustação mais elaborada, por já conhecermos o Zuccardi “Q”, que possui Malbec, Tempranillo e Cabernet Sauvignon, além de um Chardonnay. E uma curiosidade: o nome Zuccardi Q teve sua origem na prática de marcar com a letra “Q” – de Qualidade- os lotes mas antigos e uniformes de cada vinhedo, os quais se trabalharam com especial atenção para selecionar as uvas de qualidades excepcionais.  Hoje, as uvas com que se elaboram Zuccardi Q são da região do Valle de Uco e de vinhedos antigos selecionados.

Em nossa degustação, começamos com o espumante Zuccardi Blanc de Blancs, produzido através do método tradicional com uvas 100% Chardonnay provenientes de vinhedos localizados em Tupungato, Valle de Uco, Mendoza.

espumante

Depois pudemos degustar os ícones Tito Zuccardi 2012 e o Zuccardi Zeta 2011 – que são sensacionais – que são blends elaborados com as melhores safras. O Tito é um blend, de um corte de variedades clássicas com outras não tradicionais, exclusivamente de vinhedos de La Consulta, no Valle de Uco. Já o Zeta também é um blend, só que das melhores uvas de cada colheita e, por isso, sua composição varia ano a ano, de acordo com o critério dos enólogos que julgam rigorosamente os resultados da colheita e da vinificação dos melhores Malbecs, Cabernets e Tempranillos que podem compor.

tito

E para quem não gosta de vinho? Ótima chance de provar os azeites da marca. Degustamos o azeite ícone extra virgem da Zuccardi, o “Bravo”, elaborado com 80% de azeitonas Arauco e 20% da Picual. Com aromas verdes intensos de tomate, alcachofra, sendo fresco no paladar e com um toque apimentado no final, muito gostoso. Outra opção é ficar na loja da bodega que, além de vinhos e azeites, possui camisetas, polos e muitos cremes feitos a base de uvas. Lá compramos um esfoliante para o rosto com extratos de vinho Malbec que limpa e ilumina a pele chamado “Accurato Vida” (já testamos e indicamos!).

Carinae

Nossa segunda visita do dia foi na vinícola Carinae Vinedos y Bodegas, pertence aos franceses Philipe e Brigite Subrá que adquiriram as instalações no final dos anos 90, revigoraram o local e iniciaram a produção efetiva de vinhos em 2003. Com consultoria especializada da equipe do renomado enólogo francês Michel Rolland, pudemos ter a chance de conhecer os vinhos desta pequena bodega familiar. Lá optamos por não fazer a visita, pois já estávamos com a agenda apertada para o almoço.

oliveira

Oliveira na Vinícola Carinae

Cada um do nosso grupo escolheu um tipo de degustação, permitindo a todos provar todos os vinhos da vinícola. Os vinhos ícones são ótimos e possuem um excelente custo-benefício; por isso, escolhemos para a nossa adega: Hommage Gran Reserva Syrah 2009 e o Prestige 2009 com 72% Malbec, 23% Cabernet-Sauvignon e 5% Syrah.

E o El Enemigo? Como fizemos o almoço harmonizado, vamos contar como foi na próxima matéria.

por Daniele Flöter

Compartilhe

COMENTE SOBRE A MATÉRIA