Brasileiro que mais degusta vinhos no mundo chega a provar até 3.000 rótulos por ano

Compartilhe

O jornalista Eduardo Viotti, editor da revista Vinho Magazine e dono da empresa que promove em São Paulo, em julho, o evento “Wine Weekend São Paulo Festival”, além de mestre em vinho pela University of Califórnia Davis (Estados Unidos) e jurado internacional, é o brasileiro que mais degusta vinhos pelo mundo. Viotti degusta perto de 3.000 rótulos diferentes por ano, ao participar de diversos concursos internacionais e degustações para apresentação de novas safras de vinhos. Graças a esta rotina, que já dura 16 anos, Viotti tem muitas histórias curiosas para contar sobre a bebida e este mercado ao redor do mundo. “Acabei de voltar, por exemplo, de uma viagem à Alba, no Norte da Itália, na qual provei quase 1.000 rótulos em cinco dias”, garante o especialista.

edu viotti[1]

Viotti acaba de elaborar um manifesto sugerindo que o vinho seja reconhecido como patrimônio cultural brasileiro e enviou para o Congresso Nacional. Este manifesto será apresentado ao público, pela primeira vez, durante o evento “Wine Weekend”. “O vinho é um dos mais fortes elementos da cultura ocidental greco-latina-cristã ainda hoje presentes em sua forma original no Brasil. Incluído na liturgia católica como símbolo de abundância, o vinho é considerado como alimento e não como bebida na maioria dos países da Europa Ocidental. Também está incluído como Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco. O vinho é a bebida mais antiga a participar das celebrações humanas. Suas origens mais remotas chegam a 8.000 anos atrás”, afirma Eduardo Viotti.

Se o manifesto for atendido pelo governo brasileiro, o vinho poderia, por exemplo, ter acesso a espaços culturais importantes, o que não é possível atualmente. Se, além disso, for considerado alimento, seu imposto poderia ser reduzido e o preço do vinho cairia, tornando a bebida mais acessível a uma parcela maior da sociedade.

Compartilhe

COMENTE SOBRE A MATÉRIA