MENDOZA – Almoço harmonizado na vinícola Belasco de Baquedano

Compartilhe

Em nossa visita às vinícolas de Luján de Cuyo, por uma mudança no percurso, o Portal Betioli teve a sorte de conhecer a bodega Belasco de Baquedano – dica foi do nosso remis (“motorista particular”) – veja a matéria “MENDOZA – Visita às vinícolas de Luján de Cuyo”. Acompanhados por uma representante da vinícola, conhecemos todo o processo de produção dos vinhos da marca, a “Sala de Aromas” e finalizamos a visita com um almoço harmonizado, que nos permitiu conhecer os principais rótulos da vinícola.

20151021143904

Sala de Aromas

Que tal descobrir ou reconhecer alguns aromas que sentimos nos vinhos, mas não sabemos nomear? Em uma sala repleta de aromas: Primário (ou varietal) – vem da própria uva e lembra frutas frescas e maduras, flores, vegetais e minerais; Secundário – resultado do processo de fermentação, vinificação, não são originários da uva, são aromas de madeira, leveduras; e Terciário (ou bouquet) – é a sensação olfativa que o vinho desenvolve depois de engarrafado e envelhecido por vários anos, é possível conhecer e identificar cada um deles.

aromas

A proposta da nossa guia foi simples: primeiro sentir o aroma para depois ler a sua identificação, em qual vinho é mais encontrado. Um exercício incrível – até mesmo para os aromas ruins (de quando o vinho não é bom ou já passou da sua melhor fase para ser degustado. Aqui vale um lembrete: sempre que comprar um vinho, certifique-se de quanto tempo ele pode ser guardado para não ter uma experiência ruim; alguns vinhos são para serem bebidos logo mesmo).

Almoço Harmonizado

Com uma linda vista para as parreiras e também para a Cordilheira dos Andes, pudemos conhecer os vinhos da bodega harmonizados com pratos bem interessantes e bem apresentados.

Começamos com um Rosa de Argentina Malbec, um vinho com boa acidez que dá uma sensação de frescor, harmonizado com um Creme de couve-flor e curry com salmão do pacífico curado com sal de laranja e azeite.

IMG_3180

O segundo prato um ovo frito servido com migas espanholas, pó e emulsão presunto crudo e alho-poró frito muito bem acompanhado por um Loan (ou Llama em alguns países), um Malbec bem estruturado com aromas frutados.

Na sequência – eleito o melhor prato por nosso grupo -, Trufas de cebola defumada sobre uma ‘cama’ de espinafre salteada em azeite com amêndoas tostadas e um suave molho de alho, acompanhado por um Ar Guentota Malbec.

O prato principal foi uma carne, o Lomo grelhado com batatas douradas em manteiga de pimenta negra – comemos carnes melhores em outros restaurantes -, acompanhado do ícone da vinícola: Swinto Malbec. Um vinho muito elegante, saboroso, denso e generoso. Bastante equilibrado, o nome dado a ele nasceu de um jogo de palavras. Swinto significa corvo na língua dos huarpes, primeiros habitantes do vale de Mendoza, e Belasco, em basco, também possui o mesmo significado.

IMG_3185

E, para a sobremesa, um ‘bolo’ de doce de leite sobre molho de coco acompanhado de merengue de canela e caramelo, muito bem harmonizado com um Antracita.

IMG_3186

Vale a visita

Por que visitar? Realmente, a Belasco de Baquedano foi uma surpresa agradável em nosso roteiro de degustações. A Sala de Aromas, só por ela, já vale a visita, e o vinho ícone da bodega – Swinto – possui uma complexidade interessante e um ótimo custo-benefício, quando comparado a outras vinícolas da região.

por Daniele Flöter

Compartilhe

COMENTE SOBRE A MATÉRIA